quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Meggie

- Sábado a noite. Ficar fora da night? JAMAIS.
- Devia, estou com um mau pressentimento, sinto que hoje não será uma noite boa pra você.
- Tá sei como é. Esse seu pressentimento deve ser invejinha porque você não vai pra festa do Addy. Bom, tenho que ir. Vê se melhora desse seu pressentimento aí, ok?
Saiu rindo da amiga, sabia que ela não poderia ir pra festa, mas ao mesmo tempo, ficara triste, Rosalye era sua melhor amiga e com certeza a festa não seria A FESTA sem ela. Mas perder a festa do Addy seria loucura pra qualquer garota da cidade, ele era o garoto mais importante da escola, o mais gato, o mais rico e o mais metido também. Mas era o Addy, então era melhor estar lá.
Quinze minutos depois, a Meggie chegou na festa, e que festa: tudo era deslumbrante, apesar de não parecer um baile de princesa. Tinha a melhor decoração, o melhor som, as melhores comidas e bebidas. Ninguém na cidade teria como fazer uma festa igual. Meggie também estava tão bela quanto a festa, seu vestido azul de seda era doce e suave, e teve um caimento perfeito no seu corpo loguíneo, ninguém mais estaria tão meigo quanto ela.
Na festa já haviam vários convidados, todos alegres, gabando de peripécias no colégio, bebendo e dançando sem parar. Apenas um não estava tão contagiado com a vibe como todos. Ele estava lá, no canto, observando todos ao seu redor e apenas uma pessoa prendia sua atenção: a Meggie. Para ele, ela era a mais linda, a mais sorridente, a melhor garota do mundo. Mas ela tava distante, ela fazia parte do grupo de música, era popular, forte canditada à rainha do baile. Ele? Apenas um nerd do clube de xadrez, ninguém daria muito por ele, nunca havia ficado com garotas da cidade, quanto mais com ela.
Mas naquela noite a Rosalye teve um mau pressentimento, ela estava certa, a Meggie devia ter escutado sua amiga, naquela festa, Meggie sentiria o gosto amargo da humilhação, o veneno de seus inimigos. O pior coisa que podem fazer pra manchar a honra de uma garota, fizeram com a Meggie, e pior tiraram fotos e na segunda-feira pós-festa, toda a escola achava que ela tinha feito aquilo por vontade própria. Meggie tinha virado a piada do colégio, mas não foi apenas isso, pelo má conduta exposta a tantos alunos, ela também foi expulsa. O mundo dela tinha desmoronado.


--------------------------
Duas semanas depois, Meggie se mudou da pequena cidade onde sempre foi uma das garotas mais populares do colégio, e foi morar com a vó na cidade grande. Seus pais fizeram isso pra não sofrerem ainda mais com a decepção da filha. Lá, ela fez novos amigos, novos projetos, até um prêmio por causa da música ela ganhou. Era outra pessoa, uma Meggie onde já não existia a marca da humilhação e vergonha do passado. Quando ela se mudou, estava no 3° ano, seus planos eram se formar, ser a rainha do baile e ir pra faculdade na cidade grande. Ela não foi a rainha do baile, mas conseguiu realizar seus planos: havia passado numa ótima universidade e agora cursava direito. Tudo havia mudado.
Voltar pra pequena cidade de onde veio seria um desafio, afinal, ela tinha deixado tudo pra trás. Mas era um desafio necessário, e ela iria até o fim. Rever tudo outra vez não foi fácil, lembrar tudo o que aconteceu no passado fazia seu coração doer, revirava seu estômago. Porém não foi o passado que a estremeceu, e sim o presente, o nerd que sempre fora piada na colégio agora era outra pessoa. Tinha na cidade uma franquia de manutenção de computadores e ainda tinha um cargo de professor numa universidade perto dali.
 - Meggie, como você está mudada? A capital te fez bem não foi?
 - E você, Austin, tá irreconhecível! Aposto que aqueles que te zoavam ficaram de queixo caído. Você incrível!
 - Mas falta uma coisa ainda. Uma coisa do passado que eu queria e quero muito. Algo com que sonhei a vida toda. A última parte da minha felicidade.
 - E o que seria?
 - Você.
 - Como assim, EU?!
 - Meggie, eu te amo e sempre te amei, mesmo depois daquilo, eu continuo te amando. Eu sei que foi um erro do passado e não ligarei para o que os outros pensem de mim.
 - Não posso fazer isso com você, Austin. Você é muito bom, todos aqui lembram do que aconteceu comigo, vão te fazer sofrer, e agora seria por minha culpa.
 - Meggie, pelo menos uma noite. Eu imploro. Eu esperei anos a fio por esse momento.
 - Não vou fazer isso se a primeira coisa que você vai dizer depois é "não conte a ninguém".
 - Eu jamais diria isso.
 - Eu sei que diria, eu te zoava, todo mundo te zoava, agora você zoa de nós. Se eu ficasse com você por uma noite, você não ia manchar sua reputação, me exibindo como troféu. Me desculpe, Austin, mas eu não vou fazer isso com você nem comigo. Se você me ama como eu penso que ama, não fale mais comigo. Não me procure nunca mais.
 - Mas Meggie...
 - Me perdoe, mas eu tenho que ir. Adeus Austin e boa sorte.
Daquele dia em diante ela sabia que não ia mais voltar pra lá.

Beijos, Tay!


2 comentários:

Jeniffer Yara disse...

Ahh, como assim ela não ficou com ele? Poxa, o nerd virou bem-sucedido e todo mudado e ela também, não sei se é por que amo finais felizes, mas esperava que Meggie ficasse com ele :/ rs Enfim, o bom é que você escreve muito bem!

Beijos

Tayse Cruz disse...

Obrigada Jeniffer!
Eu acho que nem ela, nem ele viveriam bem se ficassem juntos. ;P